CALL OF DUTY: A real phenomenon in the world of video games.

in Hive Gaming9 months ago (edited)

This publication was also written in SPANISH and PORTUGUESE.

Game Deals

One of the most popular and most exciting perspectives for players is the fact that there is a possibility for them to control characters in first person. This gives them a more complete and immersive look at what they’re playing and when it comes to a violent approach to war games (which naturally involve many aspects of action, shots and explosions), the Call of Duty franchise is a excellent example of what I'm talking about. If you don't know where to start when choosing an action game, this is - definitely - my recommendation.

The first edition was published in 2003 by Activision and developed through joint work involving the companies Infinity Ward, Sledgehammer Game Studio and Treyarch, which has been alternating their work with each new release. Over the years, the franchise has established itself as one of the best accepted and most acclaimed war games for millions of players and at the same time, it is a franchise that has appealed to video game critics for many years (and apparently , this success has no end date). Financially, it is also one of the most profitable games out there.

One of the factors that explains the success of this explosive (and noisy) universe tends to be a very real approach and also, the historical truth in which the plot of the game often has its main focus. Using the idea of ​​creating great narratives with good arguments that value the immersiveness of the facts, the real historical events that are seen (for example, the Second World War), catch the attention of the players without having to make much effort or create amazing events to it happens. It is a natural attraction that every day has a new group of fans.

Altered Gamers

The frantic and collaborative dynamics of the game is also one of its great successes, because a more expansive option to delight all this universe is what also usually pleases everyone and at the same time, manages to create a game plus more challenges that need to be overcome with a level of strategy a little bit beyond what is already seen in games with similar themes and, at times, totally equal (with only a few specific differences so as not to be accused of plagiarism). Call of Duty has everything an action game has... And that appeals to the most demanding players.

Technically, I think this franchise can also be very competent in its special effects (the graphics are great and over the years, they are getting even better and more complete in their reality) and bet on a very well thought out soundtrack in some minor details (in addition to being a sound very well performed in key moments that are of fundamental importance for the drama of the game in its general context). All of these aspects make Call of Duty a game that needs to be known, appreciated and played from an attentive perspective.

The most recent success of this franchise is Call of Duty Mobile, which today turns one year old and at the same time reached a very significant milestone: the game had a billion hours played in its version exclusively for smartphones. The news was announced by the App Annie blog, which is a platform known for analyzing data from applications around the world. This brand has a very positive consequence in the Call of Duty universe, because it further consolidates its success around the world and the legion of fans it has.

Game Reporter

Particularly speaking, when it comes to war games, this is one of the most complete and exciting action products for me. I have played several versions and none of them had a negative impact or severely disappointed me at any time. However, it is clear that the alternation of universes (change of narratives) within the game sometimes bothers me (but at a forgettable level to be mentioned), however, all the positive aspects manage to obtain a much more attractive final balance.


CALL OF DUTY: Un fenómeno real en el mundo de los video juegos.

Una de las perspectivas más populares y emocionantes para los jugadores es el hecho de que tienen la posibilidad de controlar a los personajes en primera persona. Esto les da una visión más completa e inmersiva de lo que están jugando y cuando se trata de un enfoque violento de los juegos de guerra (que naturalmente involucran muchos aspectos de acción, disparos y explosiones), la franquicia de Call of Duty es una excelente ejemplo de lo que estoy hablando. Si no sabes por dónde empezar a la hora de elegir un juego de acción, esta es - definitivamente - mi recomendación.

La primera edición fue publicada en 2003 por Activision y desarrollada a través del trabajo conjunto en el que participaron las empresas Infinity Ward, Sledgehammer Game Studio y Treyarch, que ha estado alternando su trabajo con cada nuevo lanzamiento. A lo largo de los años, la franquicia se ha consolidado como uno de los juegos de guerra más aceptados y aclamados por millones de jugadores y, al mismo tiempo, es una franquicia que ha atraído a los críticos de videojuegos durante muchos años (y aparentemente , este éxito no tiene fecha de finalización). Financieramente, también es uno de los juegos más rentables que existen.

Uno de los factores que explica el éxito de este universo explosivo (y ruidoso) suele ser un enfoque muy real y también, la verdad histórica en la que la trama del juego suele tener su foco principal. Usando la idea de crear grandes narrativas con buenos argumentos que valoren la inmersión de los hechos, los hechos históricos reales que se ven (por ejemplo, la Segunda Guerra Mundial), captan la atención de los jugadores sin tener que hacer mucho esfuerzo o crear eventos asombrosos para Sucede. Es una atracción natural que cada día tiene un nuevo grupo de fans.

La dinámica frenética y colaborativa del juego es también uno de sus grandes aciertos, pues una opción más expansiva para deleitar a todo este universo es lo que también suele agradar a todos y al mismo tiempo, logra crear un juego y más desafíos que hay que superar con un nivel de estrategia un poco más allá de lo que ya se ve en juegos con temáticas similares y, en ocasiones, totalmente igual (con pocas diferencias puntuales para no ser acusado de plagio). Call of Duty tiene todo lo que tiene un juego de acción... Y eso atrae a los jugadores más exigentes.

Técnicamente, creo que esta franquicia también puede ser muy competente en sus efectos especiales (los gráficos son geniales y con los años, se están volviendo aún mejores y más completos en su realidad) y apostar por una banda sonora muy bien pensada en algunos pequeños detalles (además de ser un sonido muy bien interpretado en momentos clave que son de fundamental importancia para la dramatización del juego en su contexto general). Todos estos aspectos hacen de Call of Duty un juego que hay que conocer, apreciar y jugar desde una perspectiva atenta.

El éxito más reciente de esta franquicia es Call of Duty Mobile, que hoy cumple un año y al mismo tiempo alcanzó un hito muy significativo: el juego tuvo mil millones de horas jugadas en su versión exclusiva para teléfonos inteligentes. La noticia fue anunciada por el blog App Annie, que es una plataforma conocida por analizar datos de aplicaciones de todo el mundo. Esta marca tiene una consecuencia muy positiva en el universo Call of Duty, pues consolida aún más su éxito en todo el mundo y la legión de fans que tiene.

Hablando en particular, cuando se trata de juegos de guerra, este es uno de los productos de acción más completos y emocionantes para mí. He jugado varias versiones y ninguna de ellas ha tenido un impacto negativo o me ha decepcionado mucho en ningún momento. Sin embargo, está claro que la alternancia de universos (cambio de narrativas) dentro del juego a veces me molesta (pero a un nivel olvidable por mencionar), sin embargo, todos los aspectos positivos logran obtener un balance final mucho más atractivo.


CALL OF DUTY: Um fenômeno real no mundo dos vídeo games.

Uma das perspectivas mais populares e mais instigantes para os jogadores é o fato de existir a possibilidade deles controlarem personagens em primeira pessoa. Isso proporciona a eles um visual mais completo e mais imersivo sobre o que eles estão jogando e quando o assunto é uma abordagem violenta sobre jogos de guerra (que naturalmente envolvem muitos aspectos de ação, tiros e explosões), a franquia Call of Duty é um excelente exemplo do que eu estou falando. Se você não sabe por onde começar ao escolher um jogo de ação, essa é - definitivamente - à minha recomendação.

A primeira edição foi publicada em 2003 pela Activision e desenvolvida através de trabalho conjunto envolvendo as empresas Infinity Ward, Sledgehammer Game Studio e Treyarch, que vem revezando os seus trabalhos a cada novo lançamento. Ao longo dos anos, a franquia vem se estabelecendo como um dos jogos de guerra mais bem aceitos e mais aclamados para milhões de jogadores e ao mesmo tempo, é uma franquia que tem agradado aos críticos especializados em vídeo games por muitos anos (e pelo visto, esse sucesso não tem data para acabar). Financeiramente, também é um dos jogos mais rentáveis que existem.

Um dos fatores que explica o sucesso desse universo explosivo (e barulhento) tende a ser uma abordagem bem real e também, a veracidade histórica na qual muitas vezes a trama do jogo tem o seu foco principal. Utilizando a ideia de criar grandes narrativas com bons argumentos que prezam pela imersividade dos fatos, os eventos históricos reais que são vistos (por exemplo, a Segunda Guerra Mundial), fisgam à atenção dos jogadores sem ter que fazer muito esforço ou criar eventos mirabolantes para isso acontecer. É uma atração natural que cada dia mais tem um novo grupo de fãs.

A dinâmica frenética e colaborativa do jogo também é um dos seus grandes acertos, porque uma opção mais expansiva de aproveitar todo esse universo é o que também costuma agradar a todos e ao mesmo tempo, consegue criar um jogo mais mais desafios que precisam ser vencidos com um nível de estratégia um pouco além do que já é visto em jogos com temáticas semelhantes e, às vezes, totalmente iguais (com apenas algumas diferenças pontuais para não serem acusados de plágio). Call of Duty tem tudo o que um jogo de ação tem... E isso agrada aos jogadores mais exigentes.

Tecnicamente, eu acho que essa franquia também consegue ser muito competente em seus efeitos especiais (os gráficos são ótimos e com o passar dos anos, eles estão ficando ainda melhores e mais completos em sua realidade) e aposta em uma trilha sonora muito bem pensada em alguns mínimos detalhes (além de ser uma sonoridade muito bem executada nos momentos chaves que tem uma importância fundamental para a dramaticidade do jogo no seu contexto geral). Todos esses aspectos fazem de Call of Duty um jogo que precisa ser conhecido, apreciado e jogado sob uma perspectiva atenciosa.

O sucesso mais recente dessa franquia é o Call of Duty Mobile, que hoje completa um ano e ao mesmo tempo atingiu uma marca muito significativa: o jogo teve um bilhão de horas jogadas em sua versão exclusiva para smartphones. A notícia foi anunciada pelo blog App Annie, que é uma plataforma conhecida por analisar dados de aplicativos ao redor do mundo. Essa marca tem uma consequência muito positiva no universo de Call of Duty, porque isso consolida ainda mais o seu sucesso ao redor do mundo e a legião de fãs que ele tem.

Particularmente falando, quando o assunto é jogos de guerra, esse é um dos produtos de ação mais completos e mais instigantes para mim. Eu já joguei várias versões e nenhuma delas teve um impacto negativo ou me decepcionou fortemente em nenhum momento. No entanto, é claro que a alternância de universos (mudança de narrativas) dentro do jogo às vezes me incomoda (mas em um nível esquecível para ser mencionado), porém, todos os aspectos positivos conseguem obter um saldo final muito mais atrativo.

Sort:  

Este juego es uno de mis favoritos, muy buena explicación, a pesar de los obstáculos, este juego sabe como atraerte. 😁